Dia da Mulher: entrevista com as nossas fundadoras!

Atualizado: Mar 17

Celebrado, anualmente, em 8 de março, o Dia Internacional da Mulher é uma data para comemoração, mas principalmente de reflexão acerca do papel das mulheres na nossa sociedade, das lutas diárias que enfrentam e do preconceito que ainda sofrem.


Diante disso, preparamos este conteúdo para contar um pouco mais sobre a história da data, a situação atual das mulheres no mercado de trabalho e, no final, uma entrevista com as nossas duas sócias-proprietárias a respeito do seu caminho como empreendedoras.


Dia da Mulher na história


No início do século XX, milhares de mulheres, revoltadas com os acidentes ocorridos em fábricas e com as condições de trabalho impostas na época, começaram a ir para as ruas protestar por mais igualdade.


Portanto, a data não é uma mera homenagem e, sim, o reflexo de um engajamento político feminino construído por décadas. Além disso, as crescentes manifestações nos Estados Unidos e na Europa, além da greve das operárias russas, em 1917, foram alguns dos principais marcos que culminaram nesse reconhecimento.


Por fim, em 1975, a Organização das Nações Unidas (ONU) tornou oficial aquilo que já era celebrado por décadas, sacramentando o dia 8 de março como o Dia Internacional da Mulher.


Mulheres empreendedoras


De acordo com dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), no último trimestre de 2020 existiam cerca de 25,6 milhões de empresas no Brasil. Destas, em torno de 8,6 milhões (33,6%) eram comandadas por mulheres.


Por mais que a pandemia tenha diminuído um número que vinha em crescente desde 2016, isso mostra o quanto foi necessária a reinvenção durante os tempos de crise.


Mulheres da Cash.In


Um case de sucesso sobre mulheres empreendedoras é o da Cash.In. Fundada em 2018 pelas sócias-proprietárias Nani Gordon e Luciana Ramos, nossa startup desenvolveu uma solução de pagamentos de incentivos e bonificações no mercado corporativo, tanto para funcionários efetivos quanto terceirizados.


Confira abaixo uma entrevista feita com a Nani e a Luciana sobre o Dia da Mulher e a trajetória da Cash.In, com as lutas e desafios que elas enfrentaram e enfrentam diariamente para ter sucesso dentro do mercado de trabalho.


1 ) Quais os principais desafios que vocês enfrentaram para chegar no cargo que ocupam hoje?


Acima do cargo está o desafio da mudança no mercado de trabalho. Entrar em um mercado financeiro e tecnológico exigiu estudo e foco para quebrar barreiras e aprender um novo formato, com conceitos e necessidades diferentes. Foi preciso muita coragem, determinação, estudo e, principalmente, conexões que no início nos guiassem para as direções corretas.


2 ) Qual história mais marcou durante a trajetória?


Em um café, discutindo mercados gerais, eu (Nani) e a Luciana decidimos estudar e conhecer a fundo a distribuição de prêmios de marketing e vendas. Daí surgiu a Cash.In!


3 ) Como vocês observam o espaço das mulheres no mercado de trabalho?


Já demos um grande passo e hoje temos grandes mulheres na liderança de muitas empresas renomadas. Elas nos inspiram a continuar e sempre evoluir.


4 ) Historicamente, as mulheres são menos valorizadas no mercado de trabalho. O que fazer para mudar isso?


Temos um problema estrutural e cultural. Com isso, precisamos de tempo para evolução. Há pouco ainda estávamos cuidando de nossas casas em tempo integral, já evoluímos e quebramos algumas barreiras. A cada mulher que desbrava um mercado ou conquista um espaço de liderança, todas nós crescemos junto.


Como toda grande mudança de cultura, isso leva tempo. Temos exemplos de paridade salarial, mesmo que raros, e com espaço e descaracterização de que gêneros trazem habilidades específicas, conquistaremos uma paridade cada vez mais justa.


5 ) Vocês sentem que já atingiram todos os objetivos profissionais?


Não nos vemos chegando nesse momento. A cada conquista profissional, me coloco novos objetivos que me motivam ainda mais a continuar meu caminho.


6 ) Como foi para vocês conciliar estudos, vida pessoal e o trabalho?


É um malabarismo. Ainda hoje nos cobramos em desempenhar perfeitamente todos os papéis e isso é impossível. Contar com a colaboração de todos na casa e dividir tarefas é necessário. Para isso, precisamos, inclusive, nos desconstruir e eliminar os preconceitos de que gêneros têm papeis específicos.


7 ) O que motiva a levantar da cama todos os dias?


Principalmente querer o melhor para as nossas famílias. Em seguida, fazer o que amamos e com uma equipe unida, faz dos dias mais prazerosos. Gostamos de desafios e trabalhar nos faz viver melhor.


8 ) Definam em uma frase o que é ser mulher.


A mulher é uma malabarista multitarefas, mais forte que um super-herói (risos).


Ser mulher é nunca desistir dos seus sonhos e objetivos. É saber das dificuldades diárias e mesmo assim levantar da cama com a garra e determinação para superar qualquer desafio. Por isso, nós da Cash.In desejamos a todas um feliz Dia Internacional da Mulher!