Como as PMEs podem se beneficiar do online no pagamento dos incentivos.

*Por Luciana Ramos



Que as grandes empresas são beneficiadas por diversas tecnologias, nós já sabemos. Mas e como fazem as pequenas e médias empresas (PMEs)? Com o pouco acesso a produtos digitais, era natural que PMEs ficassem de fora da corrida dos grandes.


Pois é, se esse era um fato, agora não é mais e aos poucos nascem plataformas que atendem às necessidades de companhias de todos os portes. O digital chegou e democratiza as competições, acesso a facilidades em gestão, pagamentos e processos.


É o nosso caso, na Cash.in, plataforma 100% online muito usada para pagamento de prêmios de incentivo já contamos com mais da metade da carteira com PMEs. Instantâneamente, essas empresas são beneficiadas pela redução de trabalhos manuais e custos com a burocracia. Para o colaborador, o resultado é tão significativo quanto para a empresa, já que o usuário ganha autonomia para usar o seu dinheiro da forma que quiser, desde cupons de lojas online, pagamento de boletos, até mesmo recargas de celular, tudo isso sem o intermédio dos bancos tradicionais.


Sem dúvida, essa liberdade reflete em motivação, o que é indiscutivelmente importante e muitas vezes uma questão de sobrevivência. Pensando nas duas pontas – empregado e empregador – a plataforma da Cash.in foi desenhada para ser um produto muito simples, prático e objetivo, entregando o mesmo atendimento tanto para as gigantes quanto para as PMEs.


Mais do que modernizar uma empresa, a Cash.in quer apoiar os seus clients, levando a digitalição dos processos de pagamento. Ao unir as duas pontas, oferecemos uma liberdade jamais entregue ao colaborador e ainda reduz custos para as empresas. Com todo o carinho, a motivação e o aumento de faturamento são consequências diretas desta inovação.

Faz sentido? Então vem com a gente!!


*Focada no Comercial e em toda a área operacional, Luciana Ramos é uma das sócias-fundadoras da Cash.in. Empreendedora há +10 anos, atendeu as principais companhias do varejo brasileiro quando fundou a Altex, trading baseada em Hong Kong que importa roupas, acessórios e demais artigos da China. Com conhecimento e carisma de sobra, é ela quem toca a equipe de vendas com o desafio B2B e o dia a dia de atendimento e manutenção dos clientes.

0 visualização